Embora o título esteja ordenado pela meu grau de simpatia, não passo cartucho a futebol. É para mim uma doença ter que começar a aturar os telejornais que desperdiçam metade do seu tempo com notícias sobre lesões, transferências, foras-de-jogo e lavagem de roupa suja entre dirigentes.

Eu nem sempre fui assim. Na minha juventude, ia ver quase todos os jogos do Benfica no Estádio da Luz. Depois, o futebol deixou de ser desporto e passou a ser negócio e eu deixei de ser adepto e passei a ser uma espécie de arrependido do futebol. A coisa tem-se vindo agravando; até há uns anos atrás ainda via os jogos do Benfica. Depois passei a adormecer mesmo durante esses e passei a ver só os da selecção. Neste campeonato da Europa, já nem a selecção mexeu comigo!

Venham de lá esses nove ou dez meses de martírio; entretanto, já comecei a habituar o pessoal cá em casa a sintonizar na RTP 2 durante a hora do jantar.