• Bem Vindos

    Parente próximo dos macacos, chateia-me que haja quem os tenha na cabeça. Pretendo formar-me em filosofia, música, biologia, matemática e cinema mas, provavelmente, só o farei em 2197.

    Entretanto, vou escrevendo com o principal objectivo de me divertir. Espero que façam o mesmo.

  • Em Português

    • Ass. Comerciantes Bairro Alto
    • Esquerda Republicana
    • Terra que Gira
    • Pugnacitas
    • De Rerum Natura
    • Clube Cético
    • Diário Ateísta
    • Filosofia Ateísta
    • Ateísmos.net
    • Tiny Aleph
    • Não há mal que não se cure
    • Que Treta!
    • Deixem-me Falar
    • Duduziuz
    • Palpita-me
    • Detritus Toxicus
  • Em Inglês

    • World Changing
    • The Brights
    • Pharyngula
    • Rationally Speaking
    • Seed Magazine
    • Ask the Atheists
    • Saint Gasoline
    • Sam Harris
    • Bad Astronomy
    • TED - Ideas Worth Spreading
    • Richard Dawkins
    • Atheist Revolution
    • Reasic
    • Stephen Law
  • Tretas da Web

    Add to Technorati Favorites

    THE BOBs

  • Controlo de Spam

    9,436 spam comments
    blocked by
    Akismet

“Hoje é dia de festa…

…cantam as nossas almas…”

Tenho que arranjar uma alternativa para “almas” na letra dos “Parabéns”!

“O massacre de Virginia Tech” ou “À falta de Alka-Seltzer”?

Ken HamAndo numa fase menos boa e quando isso acontece os meus níveis de tolerância para com a ignorância e a estupidez baixam drasticamente.

Fiquei indeciso quanto ao titulo a dar a este post. “O massacre de Virginia Tech” poderia ser apropriado uma vez que é sobre os comentários que um iluminado de nome Ken Ham faz aos recentes acontecimentos naquele campus universitário. Por outro lado, “À falta de Alka-Seltzer” também me parece apropriado uma vez que em caso de indisposição digestiva podem sempre recorrer ao texto onde Ken Ham tece os seus absurdos comentários para expelirem o alimento estragado que vos causa a indisposição. Ler mais »

Ratzinger: 80 anos de (senil)idade

RatzingerRatzinger fez ontem 80 anos. Felizmente, poderemos dizê-lo, porque não se deseja o mal a ninguém.

Fruto do percurso normal da vida, é natural que os próximos anos de Ratzinger venham a ser duros: doenças, enfraquecimento, perca de lucidez, por aí fora… Pergunto-me: a quem recorrerá Ratzinger quando tiver que diminuir a dor, baixar a tensão arterial, controlar a taquicardia ou a incontinência? Ao seu deus todo-poderoso, através de umas rezas e orações? Ou recorrerá aos químicos e aos métodos estudados pela ciência à qual passa um atestado de incompetência noutras matérias?

Desculpem-me a curiosidade…

(Diário Ateísta / Penso, logo, sou ateu)

A Arrogância de Pensar e Ser Ateu

Diversas fezes fui já acusado de arrogância pelo titulo do meu blog ou quando uso uma t-shirt com a mesma frase.

De facto, há quem interprete a expressão “Penso, logo, sou ateu” como um assumir de uma superioridade intelectual que não corresponde minimamente à verdade e que não pode ser deduzido a partir de uma frase tão simples. Outras vezes ficam-se pelo já clássico “Olha, este tem a mania que é esperto!”. Ler mais »

Porque hoje é Domingo, apetece-me assobiar

WPvideo 1.10

Life Of Brian - Ending
03:14
Download do video

All You Need Is Love

Para quem me conhece ou acompanha este blog desde o início não é novidade a minha pancada pelos Beatles e, particularmente, por John Lennon.

Nunca me tinha ocorrido o quão humanista (e realista) esta letra é. Sempre tive uma interpretação demasiado baseada no refrão mas, agora que a analiso mais em pormenor, acho que é um excelente exemplo de pragmatismo. Fica a letra e o vídeo da representação inglesa na primeira emissão da Mundovisão. Ler mais »

First Freedom First

Nos Estados Unidos, como em muitos outros países, a questão da separação entre o Estado e a Igreja assume, para muitos, uma importância vital para o sucesso da democracia. Porque esta é uma questão de Direitos Humanos à qual ninguém deverá ficar indiferente e sobre a qual todas as Igrejas lançam constantes ameaças, recomendo a visualização deste excelente vídeo de sensibilização para a petição First Freedom First que está a ser levada a cabo pela The Interfaith Alliance Foundation e pela Americans United for Separation of Church and State.

WPvideo 1.10

First Freedom First trailer
01:23
Download do video

Adjectivo ou Nome Próprio?

O meu amigo António, leitor regular deste blog, chamou-me a atenção para o facto de eu não ser coerente na utilização do “d” maiúsculo quando me refiro a deus. Ora, para que fique claro, o principio que tenho utilizado conscientemente é o de escrever “deus” quando me refiro a uma entidade abstracta e escrever “Deus” quando me refiro ao deus cristão, uma vez que é suposto ser esse o seu nome próprio (embora, admito, não tenha a certeza, uma vez que nunca me foi apresentado formalmente).

Contudo, o António diz que não tenho usado esse critério universalmente, algo que eu não contesto por três razões que passo a citar: Ler mais »

Classe FM - Montijo, 106.2

Devo ser uma daquelas poucas estranhas pessoas que gosta de ouvir música clássica ao conduzir no tráfego da cidade. Na zona de Lisboa apenas existem duas opções: Antena 2 e Classe FM (ex-Luna FM), esta última a emitir a partir do Montijo, em 106.2 MHz.

Esta frequência foi recentemente adquirida pela Media Capital fazendo, portanto, parte da rede de rádios que também inclui a Rádio Cidade, Rádio Comercial, RCP, entre muitas outras; tudo normal até aqui.

Aberrante mesmo é o facto de durante algumas horas de emissão, a Classe FM emitir divulgação religiosa e publicidade a um tal Professor Bambú ou Mambú! Então, uma rádio que se dedica à transmissão de música clássica, ópera e jazz - de excelente bom gosto, diga-se - encharca depois a sua frequência com missas em português e espanhol em simultâneo e consultas astrológicas em francês magrebino!?! Que falta de classe…

(Diário Ateísta / Penso, logo, sou ateu)

Chantagem: a nova evangelização

O rapaz não passa de um adolescente que resolveu começar a pensar pela sua própria cabecinha. Para desagrado da sua mãe, o garoto declara-se ateu e rebenta a peixeirada! “Ah, tu não acreditas em Deus!? Não há prendas no Natal!”

É justo. Claro que também é mesquinho e reprovável sob todos os pontos de vista… Mas, isso não vem a propósito. O que conta é que o mocinho ou acredita em Deus ou não há prendas no Natal. Pelo sim, pelo não, começa a ir à missa todos os Domingos…

http://heldersanches.com/wp-content/uploads/2007/04/atheist.flv

Jovem assume-se como ateu à sua familia

« Anterior — Seguinte »