Arquivo da Categoria 'Sociedade'

Blogues em Papel

Pessoais, Sociedade Sem Comentários »

Na edição de hoje do “Público“, no caderno P2 (pág. 2), vem transcrito o meu post anterior, com referência ao Diário Ateísta, onde também foi publicado.

Esta ideia de ter muita gente a ler o que escrevo ainda me parece algo estranha…

O que fazer aos outros?

Ateísmo, Religião, Sociedade 21 Comentários »

“Não faças aos outros aquilo que não gostarias que te fizessem a ti”.

Esta é uma máxima que parece ser basilar, pelos menos em teoria, para grande parte dos seguidores da doutrina cristã. Parece-me que este princípio, por mais justo e saudável que pareça, encerra em si próprio todo o potencial para o desenvolvimento de uma cultura egoísta e intolerante. Não fazermos aos outros o que não gostaríamos que nos fizessem é uma forma de querermos impor os nossos critérios morais a terceiros.

Parece-me muito mais justo, correcto, saudável, tolerante e democrático o seguinte raciocínio: “Não faças aos outros aquilo que eles não quiserem que lhes façam”.

Tudo isto a propósito deste artigo, onde o comentador António se acha no direito de avaliar o que é ou deixa de ser moralmente aceitável para terceiros. Porque o António se choca com determinada matéria, não só entende que os outros também se devem chocar como, indo mais longe, se questiona, inclusivamente, sobre a legalidade do produto e da sua exposição (pelo menos entendi assim, o António que me corrija se eu estiver equivocado).

Não vejo como poderei contribuir para a felicidade alheia limitando terceiros aos meus valores morais. O limite será sempre a lei em vigor e, nos casos em que esta já não se adequar à realidade e ao evoluir dos tempos, há que fazer tudo para a mudar. Claro está que não estou a falar da lei de qualquer deus; quem se quiser limitar por essa é livre para o fazer sem a tentar impor aos outros.

A moda das ameaças

Blogging, Religião, Sociedade 5 Comentários »

Recentemente, fui ameaçado de morte na caixa de comentários deste blog. Agora, é a vez do meu parceiro do Diário Ateísta e autor do Liverdades, Bruno Miguel Resende, ser ameaçado da instauração de um “processo pela prática de crime contra sentimentos religiosos, nos termos e para os efeitos dos artigos 251º. e seguintes do Código Penal.”

A ameaça surgiu, como pelos vistos é tradição, nas caixas de comentários do Diário Ateísta, num artigo em que o Bruno se limitou a divulgar a obra de JAM Montoya. Ora, como eu também já tinha feito a divulgação dessa mesma obra neste blog, sinto-me deveras magoado por não ter sido alvo da mesma atenção por parte de nenhum dos comentadores deste blog. Isso, claro está, não me impede de estar totalmente solidário com o Bruno. Acho, inclusivamente, que seria interessante se esta ameaça fosse para a frente. Sem dúvida que fariam um grande favor à causa ateísta em Portugal.

A ASAE em Fátima

Sociedade 10 Comentários »

A ASAE voltou ao terreno desta vez em Fátima. Lá fez o seu roteiro habitual de passar a pente fino uma série de estabelecimentos, passar umas coimas, fechar alguns a cadeado e regressar a casa com o sentimento de dever cumprido.

Contudo, parece-me que desta vez podiam ter ido um pouco mais longe. É que muito perto do local onde actuaram andam a vender - ou melhor, a dar - gato por lebre. Oferecem umas tostinhas que não têm nenhum tipo de controlo de validade, manuseadas sem luvas ou pinças e fazem-nas passar como se fosse carne, ainda por cima humana, com cerca de 2000 anos! Mais, o artigo é depositado directamente na boca da clientela sem que o depositário proceda a qualquer acto de higiene pessoal entre clientes! Consta, também, que são levadas a cabo simulações de rituais vampirescos através da ingestão de vinho como se de sangue humano se tratasse. Ora, isto viola uma série de princípios básicos da higiene alimentar e a ASAE não fez nada.

A ASAE falhou.

Sóbria loucura?

Religião, Sociedade Sem Comentários »

Em todos os bairros existem cidadãos emblemáticos pelas melhores e pelas piores razões. Por aqui, na Penha de França, em Lisboa, existe uma senhora, provavelmente sexagenária, que leva o dia inteiro de um lado para o outro a resmungar e a gritar sozinha em protesto contra as injustiças da vida.

A senhora está neste momento sentada no jardim em frente a minha casa numa gritaria desenfreada, criticando e lamentando todos os que gastam demasiado dinheiro e depois se queixam que o ordenado não lhes chega a meio do mês. Pelo meio vai fazendo referências aparentemente despropositadas a outros assuntos, cantando umas músicas de algum folclore do país real irreconhecíveis por estes ouvidos metropolitanos e levantando as mãos aos céus provavelmente à espera de alguma resposta ou sinal.

Num dos seus  apartes, perguntou: “E, agora, a Nossa Senhora… Construiram lá em Fátima mais uma igreja que custou milhões de contos… Para quê? Será que a Nossa Senhora precisa da igreja para alguma coisa? Aquele dinheirinho não fazia mais jeito aos pobres que não têm dinheiro para comer?”

Sempre achei que a definição de loucura era das mais difíceis de elaborar!

O espírito de Natal em alta

Sociedade 3 Comentários »

Hoje, dia 3 de Outubro, a 83 dias de 25 de Dezembro, a loja de pronto a vestir da Diesel na Praça de Camões, em Lisboa, já tem as suas montras com decoração de Natal. Viva o espírito natalício!

Associação de Comerciantes do Bairro Alto

Portugal, Sociedade 4 Comentários »

Tomou hoje posse a nova equipa dos corpos sociais da Associação de Comerciantes do Bairro Alto. Após algum tempo (demasiado) de inoperancia, espera-se que esta nova direcção consiga atingir os objectivos a que se propõe, trazendo vantagens a todos os níveis para todos os interessados: comerciantes, residentes e visitantes do Bairro.

O Bairro Alto, sendo um dos maiores ícones da Lisboa turística, reclama com urgência algumas medidas que apenas pecam por tardias. O empenho de todos os supracitados é indispensável para fazer do Bairro Alto um modelo que, pelas suas características únicas, seja uma referência nacional e internacional do que deve ser animação turística de qualidade.

Boa Sorte!

A Europa e o Criacionismo na Educação

Mundo, Sociedade 8 Comentários »

Há dias felizes em que parece que, afinal, ainda existem políticos razoáveis.

Alguns membros da Assembleia Parlamentar do Concelho Europeu avançaram com uma moção para recomendação intitulada “The dangers of creationism in education“. Fica aqui a sua transcrição:

1. The Assembly asserts the standard setting role of the Council of Europe and is aware of its own responsibility in re-assessing the basis on which our societies are to be built. It recognises science as part of this basis.

2. The advance of scientific knowledge through the process of rational enquiry is thousands of years old. Ancient civilisations around the World made valuable contributions. Modern science started in Europe with the scientific revolution of the 15th and 16th centuries. This was followed by the Age of Enlightenment in the 18th and has continued to the present. New theories were seldom easily accepted by the establishment, as was the case for instance with Lamarck and Darwin’s work on evolution in the 19th century.

3. However, in recent years we have witnessed attempts to reconcile the biblical account of creation with modern science and outlaw the theory of evolution. “Creationists” pretend that “intelligent design” by a supreme entity is the scientific explanation for the universe.

4. Such an approach has no credibility among the scientific community but has succeeded in raising doubts in less informed minds, including persons with high political responsibilities, mainly in the USA but also in Europe. Some schools are now forced to teach creationism. The middle path of providing equal time for both merely offers a middle way between truth and falsehood.

5. Support for the scientific theory of evolution is almost universal among those with religious beliefs in Europe and nothing in this motion is intended as disrespect for any religion.

6. However, the Assembly is concerned at the possible negative consequences of the promotion of creationism through education and recommends that the Committee of Ministers assess the situation in the Council of Europe member countries and propose adequate counter-measures.

(Publicação simultânea: Diário Ateísta / Penso, logo, sou ateu)