33 anos

2 Rezas

25 de Abril - Cartaz alusivoEntre muitas coisas boas e alguns sobressaltos, é hoje inegável a importância do 25 de Abril de 1974.

Ter medo de falar é uma sensação que, felizmente, só a consigo definir no abstracto, uma vez que as memórias de criança não me deixaram esse azedo gravado na minha personalidade.

O prazer de usufruir do direito de falar não me permite sequer equacionar outra realidade que não aquela em que vivemos hoje em Portugal. Sou livre de dizer o que penso e penso livremente sobre o que os outros dizem.

Que nunca nos esqueçamos que houveram tempos em que tal não era possível…

Nos comentários ao meu último post, o Kota fez referência ao uma noticia referente à nova politica de imagem para o Algarve. Deixou a recomendação para eu não vomitar e ainda bem que o fez. Precavi-me e tomei um Apton 40 para controlar o minha disfunção do refluxo gastro-esofágico antes de clicar no link por ele deixado!

Nem queria acreditar! Primeiro, pensei tratar-se de uma brincadeira do 1 de Abril; recordando-me que ainda estamos a 19 de Março vi-me forçado, com muito custo, a acreditar no que estava a ver. Por decisão governamental, toda a comunicação de promoção turística do Algarve irá utilizar a marca ALLgarve! Ridículo, não é? Este contra-senso de querer promover o que é nosso utilizando anglicismos baratos é tão característico que até chateia.

Vejamos como seria o panorama internacional se todo o mundo utilizasse a mesma politica:

Alfama - Allfame

Rio de Janeiro - January River

Al Jazeera - ALL Jazz Ira

Al Pacino - All Patchino

Alcoentre - All Ass Between

Finalmente, a essência da coisa: Manuel Pinho - Bro El Pine
São apenas alguns exemplos. Fica, aqui o convite para me enviarem mais exemplos da aplicação deste princípio. Serão acrescentados aos exemplos deste post.

Contudo, resta-me uma dúvida: Ao pesquisar o YouTube para ver se encontrava algo sobre a expressão “Allgarve” apenas encontrei este vídeo; será que Bro El Pine se entusiasmou por causa deste vídeo?

Quem ficar indiferente a este vídeo deixa de ser bem vindo a este blog.

WPvideo 1.10
Fabuloso e Arrepiante !!! Gente da minha terra - Mariza
03:20
Download do video

Obrigado ao Luis Pestana.

Estou convencido de que o sismo registado esta manhã tem qualquer coisa a ver com o resultado do referendo de ontem! Deve de haver para aí muito pessoal pouco democrático que encomendou este fenómeno geológico ao Todo-Poderoso!

Independentemente do resultado do referendo do próximo dia 11, este já serviu para algo muito importante: a constatação de que o respeito pelos outros é apenas um fenómeno teórico.

Já aqui disse anteriormente o que penso sobre tolerância de ideias e pessoas. Nesta matéria, como tem ficado demonstrado ao longo da campanha, considero-me muito moderado. São por demais evidentes os casos em que se vai muito mais longe do que não tolerar as ideias opostas; avança-se para a ofensa pessoal, questiona-se a legitimidade da opção contrária, ignora-se o direito ao livre pensamento, enfim, recorre-se à vulgaridade. E isto de ambos os lados!

E já lá vão 30 e tal anos de democracia…

Bairro Alto Blues

Deixar uma reza

(Este post é uma homenagem a todos os elementos policiais que ajudam a manter o Bairro Alto seguro.)

Esta madrugada, pelas 5 da manhã, a Rua do Alecrim foi palco de uma acção policial em grande.

Ao fim de semana, esta artéria que liga a Praça do Camões ao Cais do Sodré, tem bastante movimento até altas horas da madrugada uma vez que é um dos principais acessos ao Bairro Alto.
O trânsito ascendente foi cortado e o descendente desviado para a direita para a Calçada do Ataíde, em sentido contrário, para aceder à Rua das Flores e, finalmente, à Rua de São Paulo.

Não sei o que terá estado na origem de tal acção policial mas não consigo evitar a sensação de que este tipo de acções deveriam ser mais frequentes. Sair à noite deveria ser seguro. Quem trabalha à noite deveria sentir-se seguro. Há noites em que no Bairro Alto tal sensação de segurança é pura ficção, quer para quem lá se desloca em lazer, quer para quem lá trabalha.

Já assisti a diversas acções do género dentro do Bairro Alto e, garanto-vos, nas semanas que se seguem o ambiente melhora substancialmente e, por consequência, o negócio também. É por demais evidente o cuidado que os agentes da policia têm para agir em conformidade com a lei, sem cair em excessos e sem abusarem do poder que lhes é inerente pelo uso do uniforme. Há alturas em que me espanta o sangue frio com que lidam com determinadas situações.

Lisboa merece um Bairro Alto seguro.

IVG - Importa Votar, Gente!

14 Rezas

Começou oficialmente a campanha para o referendo de dia 11 de Fevereiro. Custa-me a entender a repetição exaustiva das mesmas razões de sempre, quer do lado do “SIM”, quer do lado do “NÃO”. Sobretudo quando é evidente que, na maior parte dos casos, a argumentação em defesa de qualquer das posições é baseada em princípios hipócritas ao serviço de interesses políticos, religiosos e até económicos.

Não me parece que hajam muitos indecisos. A maior parte dos eleitores já terão acompanhado todo este processo em 1998. Tal como a maior parte, já estou saturado de tanta argumentação barata, ora recorrendo, por uns, a slogans à la PREC, ou, por outros, a valores Estado-Novo.

Parece-me ser mais importante a campanha pelo dever cívico. Explicar aos eleitores que não se devem abster e que dia 11 de Fevereiro a decisão, seja ela qual for, será, efectivamente, resultado da vontade dos portugueses e não apenas de alguns. Se a taxa de abstenção for novamente elevada terei de rever a minha convicção de que o futuro passará pelo modelo de democracia representativa.

Se conduzir… compre o álcool numa estação de serviço

9 Rezas

Nunca tinha reparado! Qual não foi o meu espanto ao entrar hoje na estação da BP na Av. Índia para pagar o reabastecimento que acabara de fazer quando vi a excelente garrafeira exposta estrategicamente atrás do operador de caixa: whiskies, vodkas, licores, por aí fora… Ao olhar à volta, lá estavam, também, uma variedade considerável de cervejas!

Álcool? À venda numa estação de serviço? You gotta be kidding…

← Pág. AnteriorPág. Seguinte →