Contrails e Chemtrails em Portugal

As teo­rias da cons­pi­ra­ção são dos fenó­me­nos mais inte­res­san­tes do mundo moderno. Ao con­trá­rio do que seria de espe­rar, o fácil acesso à infor­ma­ção e a pos­si­bi­li­dade de ana­li­sar inú­me­ras fon­tes sobre qual­quer maté­ria para pos­te­ri­or­mente reflec­tir sobre as mes­mas e che­gar a con­clu­sões mini­ma­mente infor­ma­das, leva muita gente a pro­cu­rar sus­ten­ta­ção popu­lista para as suas cren­ças pré cons­ti­tuí­das, isto é, sendo a infor­ma­ção dis­po­ni­bi­li­zada tão abun­dante, é mais fácil pro­cu­rar aquela que suporta aquilo em que que­re­mos acre­di­tar do que nos obri­gar­mos ao pesa­roso exer­cí­cio de colo­car em causa as nos­sas crenças.

É ine­vi­tá­vel esta­be­le­cer um para­le­lismo entre este fenó­meno do pen­sa­mento e os pro­ces­sos men­tais das pes­soas reli­gi­o­sas. Na inca­pa­ci­dade téc­nica da falta de for­ma­ção ou na inca­pa­ci­dade bio­ló­gica da pouca inte­li­gên­cia, as cren­ças e o ridí­culo — sejam de que tipo forem — assen­tam como o melhor fato do melhor alfai­ate de alta costura.

Na maior parte dos casos, não me pre­o­cupo com as teo­rias da cons­pi­ra­ção. Elas vão e vêm, ao sabor das modas e das para­nóias glo­bais. Existe, con­tudo, um tipo de teo­ria da cons­pi­ra­ção que deverá mere­cer um maior cui­dado da parte de todos aque­les que pre­fe­rem viver num mundo raci­o­nal, sem fan­tas­mas ou papões e onde os fenó­me­nos natu­rais e soci­ais são devi­da­mente expli­ca­dos pela ciên­cia e à luz desta. Refiro-me à teo­ria da cons­pi­ra­ção irres­pon­sa­vel­mente pro­pa­gada,  divul­gada ou supor­tada por figu­ras públi­cas que, tratando-se ape­nas disso mesmo, não terão conhe­ci­men­tos téc­ni­cos para vali­dar seja o que for. Estas figu­ras públi­cas devem, por­tanto, ter muito cui­dado com as afir­ma­ções vãs que fazem atra­vés dos seus canais de comunicação.

O mais recente caso acon­te­ceu recen­te­mente na página do Face­book de Nuno Markl. O popu­lar comediante-apresentador escre­veu o seguinte:

É impres­são minha ou nunca se viu tanto risco no céu dei­xado por aviões como agora? Não sei se são chem­trails ou não; sei que se andam a dei­xar quí­mi­cos no ar, pelo menos que se des­sem ao tra­ba­lho de dese­nhar figu­ras, que sem­pre entre­ti­nham as pessoas.

As reac­ções são as mais diver­si­fi­ca­das, con­so­ante se apoie ou não a teo­ria dos chem­trails. Para quem não sabe, a teo­ria dos chem­trails, em tra­ços lar­gos, defende que mui­tos dos ras­tos dei­xa­dos pelos aviões a jacto em alti­tude se tra­tam de pul­ve­ri­za­ções pro­gra­ma­das de agen­tes quí­mi­cos e bio­ló­gi­cos com diver­sos intui­tos, dos quais des­taco a geo­en­gi­ne­e­ring, o con­trolo das men­tes e a pro­pa­ga­ção de doenças!

O mais impor­tante deste epi­só­dio é o facto de o Nuno Markl dar cré­dito à teo­ria da cons­pi­ra­ção dos chem­trails. Pelo que se depre­ende dos seu sim­ples texto, ele não sabe bem se há-de acre­di­tar ou não nos chem­trails. Ora, o Nuno Markl não escre­veu este texto no seu per­fil pes­soal do Face­book, mas sim na sua página ofi­cial, aquela onde mais de qua­tro­cen­tos e cin­quenta mil pes­soas já cli­ca­ram no “Gosto”. É minha con­vic­ção que essa popu­la­ri­dade deve acar­re­tar alguma res­pon­sa­bi­li­dade, nome­a­da­mente a res­pon­sa­bi­li­dade de não pro­mo­ver a igno­rân­cia por mui­tos daque­les que seguem a sua página naquela pla­ta­forma social. Fechar os olhos a essa res­pon­sa­bi­li­dade é um acto de um popu­lismo atroz.

Já existe muito boa infor­ma­ção em por­tu­guês a expli­car por­que é que a teo­ria dos chem­trails se trata de um absurdo. Reco­mendo uma visita ao site da Com­cept onde estão dis­po­ní­veis diver­sos arti­gos sobre o assunto.

Para fina­li­zar, recordo que esta teo­ria da cons­pi­ra­ção remonta aos mea­dos dos anos 90. O vídeo que se segue demons­tra que o fenó­meno já exis­tia e era expli­cado expli­cado 40 anos antes. Só por­que alguém é inca­paz de com­pre­en­der um fenó­meno, este não deixa de ser natural!

Seja Social e Partilhe!
  • Tweet

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: