Barcelona Bacardí

Nos últi­mos dois dias estive em Bar­ce­lona e em Sit­ges, uma vila turís­tica a sul da mag­ní­fica capi­tal da Cata­lu­nha, terra berço do fun­da­dor da Bacardí, Facundo Bacardí.

Sobre Sit­ges, ape­nas quero dizer que deve­ria ser obri­ga­tó­rio que todos os res­pon­sá­veis pelo turismo em Por­tu­gal fizes­sem uma visita a esta agra­dá­vel vila.

Sobre Bar­ce­lona é muito sim­ples: com pouco mais de 6 horas dis­po­ní­veis, optei ape­nas por me “banhar” no ambi­ente fan­tás­tico da zona da Ram­blas e Bairro Gótico. Andei por ali, a pé, a usu­fruir daquele que con­si­dero o melhor ambi­ente urbano do mundo. Não resisti a visi­tar nova­mente o Museu Picasso (por­que não havia fila para a entrada) mas, de resto, foi pas­seio do melhor. E cada passo valeu a pena.

Esta via­gem, misto de tra­ba­lho (muito pouco ou nada) e ócio, acon­te­ceu a con­vite da Bacardí-Martini devido ao sucesso da acção de mar­ke­ting que a empresa levou a cabo, jun­ta­mente com alguns bares do Bairro Alto, para pro­mo­ver a ima­gens e, con­se­quen­te­mente, as ven­das do Bacardí Mojito. No Palpita-me, ante­ri­or­mente a esta cam­pa­nha, a venda de moji­tos era espo­rá­dica; actu­al­mente, não há noite que não se vendam!