De acordo com o astrónomo responsável pelo Observatório do Vaticano, Rev. Jose Gabriel Funes, não existe nenhum conflito entre a crença em Deus e a possibilidade de existência de vida extraterrestre. Estes “irmãos extraterrestres” podem mesmo ser mais evoluidos do que os humanos.

O que mais me impressiona é como é que entre tantas galáxias, estrelas e planetas existentes com possibilidade de vida, o povo eleito deste Deus tinha logo que ser um povo bárbaro e mesquinho! Caprichoso, não?

Num tom mais sério, quem será o primeiro a afirmar que, na tal macro leitura bíblica, esta possibilidade sempre esteve em aberto? É preciso descaramento…