Portal Ateu: ante-estreia

Quero convidá-los para a ante-estreia do Por­tal Ateu, um novo sítio para a refle­xão e divul­ga­ção do ateísmo em por­tu­guês. Esta é tam­bém a jus­ti­fi­ca­ção para não ter escrito muito por aqui; foram 3 sema­nas de intensa acti­vi­dade para colo­car o por­tal no ar ofi­ci­al­mente a par­tir do pró­ximo dia 1 de Fevereiro.

No Edi­to­rial de lan­ça­mento pode-se ler:

Eis, então, que três ateus resol­ve­ram apos­tar num pro­jecto mais ambi­ci­oso, com objec­ti­vos bem demar­ca­dos e gran­des pers­pec­ti­vas futu­ras, atra­vés da cri­a­ção do Por­tal Ateu. Neste Por­tal haverá lugar à publi­ca­ção de con­teú­dos com grande ver­sa­ti­li­dade e riqueza, seja atra­vés da par­ti­ci­pa­ção de con­vi­da­dos espe­ci­ais, seja com con­cei­tos rela­ti­va­mente recen­tes, como a difu­são de Pod­casts, nos quais serão orga­ni­za­dos deba­tes e entre­vis­ta­das per­so­na­li­da­des, públi­cas ou não, pro­fes­san­tes de uma reli­gião ou não, que pos­sam de alguma forma con­tri­buir de uma forma sau­dá­vel para o escla­re­ci­mento das bases, fun­da­men­tos e aspec­tos vários do ateísmo.

Mais à frente consta o seguinte:

A inten­ção é clara: sem­pre de forma “open min­ded” e tole­rante, com intro­du­ção de novos argu­men­tos e pers­pec­ti­vas sem­pre com selecta qua­li­dade, per­mi­tir que exista uma ver­da­deira “face” do ateísmo na Inter­net em Português.

Espe­ra­mos, claro está, con­se­guir atin­gir os objec­ti­vos pro­pos­tos. Só o tempo o dirá, é certo, mas con­ta­mos com todos vós para fazer deste pro­jecto ambi­ci­oso uma refe­rên­cia no ateísmo falado em português.

O que querem saber?

Ontem de manhã, tive opor­tu­ni­dade de por em prá­tica um dos con­se­lhos dados pelo Car­los Moura neste vídeo.

Por volta das 10.30h, toca­ram à porta. Esprei­tei pelo olho mágico (outra refe­rên­cia do Car­los no mesmo vídeo), vi dois fula­nos na casa dos trinta e entre­a­bri a porta, com um sim­pá­tico “Faz favor?”. A res­posta foi uma “dádiva do céu”: “Que­re­mos informá-lo sobre uma men­sa­gem bíblica”. Inte­ri­or­mente, fiz um “rewind” a todo o vídeo da per­for­mance do Car­los e optei por esta solu­ção. Disse: “Então, os senho­res o que dese­jam saber sobre deus?”.  Foi a con­fu­são total; entre gague­jos e olha­res per­ple­xos, tive que ser eu a tomar a pala­vra em res­posta ao silên­cio que se adi­vi­nhava dura­douro. “Eu estou muito bem infor­mado sobre deus e já tenho as minhas ideias defi­ni­das”. A res­posta foi um “Obri­gado e des­culpe” convicto.

Obri­gado, Car­los. Per­mi­tiste que eu resol­vesse em 30 segun­dos o que nou­tros casos demo­ra­ria vários minu­tos (se não se qui­sesse per­der a postura).

Entroncamento escolhe símbolo ateísta

Este é o novo sím­bolo do Muni­cí­pio do Entron­ca­mento. Não se trata de um sím­bolo qual­quer; o sím­bolo do movi­mento ató­mico há muito que ficou “colado” ao sím­bolo do ateísmo a nível internacional.

Afi­nal, ainda somos sur­pre­en­di­dos por alguns autar­cas! Mas, pen­sando bem, se nos lembrar-mos na fixa­ção que alguns deles têm pelas rotun­das rodo­viá­rias, faz todo o sen­tido a uti­li­za­ção do sím­bolo ateísta.

Brin­ca­dei­ras à parte, para­béns ao Entron­ca­mento pela luci­dez demonstrada.

Adeus, querido diário

Pas­sa­dos 11 meses, decidi pôr fim à minha cola­bo­ra­ção no Diá­rio Ateísta. Infe­liz­mente, o tempo nunca é sufi­ci­ente para tudo o que que­re­mos fazer; pre­tendo dedicar-me mais a este blog e a um novo pro­jecto que está para arran­car em breve, do qual darei conta nes­tas pági­nas opor­tu­na­mente. Foi bom.

Nova sondagem

Com 63% dos votos regis­ta­dos, Jesus pode ser ofi­ci­al­mente decla­rado zom­bie. Está, por­tanto, na hora de uma nova son­da­gem, desta vez mais séria, em que pre­tendo afe­rir a opi­nião dos lei­to­res sobre a divul­ga­ção do ateísmo em Por­tu­gal. Sugiro que antes de deci­di­rem qual a res­posta tenham em con­si­de­ra­ção os seguin­tes factores:

  • A quan­ti­dade de infor­ma­ção disponível
  • A qua­li­dade da infor­ma­ção disponível
  • A rele­vân­cia que é dada nos media naci­o­nais ao ateísmo e qual o grau de isen­ção informativa
  • A con­fi­ança que têm naque­les que habi­tu­al­mente são refe­rên­cias no ateísmo nacional

Boas vota­ções!

Blogging 2008

A falta de tempo é algo de que eu não gosto de me quei­xar. Parece, quase sem­pre, uma des­culpa para uma má orga­ni­za­ção pes­soal na esco­lha de pri­o­ri­da­des. No caso desta ausên­cia tão pro­lon­gada do blog, é exac­ta­mente o inverso. Afi­nal, isto não passa de um hob­bie que, como qual­quer hob­bista que se preze, eu levo bas­tante a sério. Mas, mesmo assim, um hob­bie, apenas.

Con­tudo, penso que ainda vou a tempo de expor a minha prin­ci­pal deter­mi­na­ção para este blog no ano de 2008. É minha inten­ção con­ti­nuar a escre­ver sobre ateísmo em geral, obvi­a­mente, mas pre­tendo ini­ciar uma nova fase bre­ve­mente, assim que ter­mine a minha série de arti­gos inti­tu­la­dos “Reflec­tir o meu ateísmo” (ver topo da barra late­ral direita). Após o tér­mi­nos dessa sequên­cia, pre­tendo concentrar-me mais nos desa­fios éticos, morais e (por­que não?) civi­li­za­ci­o­nais, das soci­e­da­des pós-cristãs, cami­nho que me parece ainda longo mas irre­ver­sí­vel, e que levanta ques­tões imen­sas, tanto de índole pes­soal como colec­tivo. Mesmo que não encon­tre as res­pos­tas, ten­ta­rei, pelo menos, colo­car as ques­tões certas.