Práticas de boa gente

Familia & Amigos, Religião | 29 Outubro, 2007

Já por diversas vezes fui surpreendido nas caixas de comentários pela visita de velhos amigos e conhecidos com quem, devido às voltas da vida, havia perdido o contacto. O episódio mais recente aconteceu com o Nuno Azevedo que eu já não vejo há algum tempo. Gostei que ele aparecesse e comentasse. Gostei, também, de saber que ele encontrou o seu lugar e descobriu nele lugar para as suas convicções.

O Nuno termina um dos seus comentários com a seguinte ideia que penso resumirem, de alguma forma, a sua postura:

Mais importante para mim do que acreditar ou não acreditar é fazer o Bem, ser Humilde e ser Sério…basta isso para, acreditando ou não, viver em comunhão com a mensagem que me é transmitida pelo “meu” Deus.

Bem, não sei onde é que o Nuno encontra esses atributos no “seu” deus. Não será certamente na Bíblia. O Antigo Testamento é fértil em práticas do Mal, Arrogância e Injustiças, onde a falta de respeito pela vida humana é levada a extremismos doentios…

Note-se que eu concordo com a afirmação do Nuno; fazer o Bem, ser Humilde (q.b.) e ser Sério são virtudes recomendáveis. Agora, não é preciso nenhum deus no processo para se alcançarem esses valores. Basta ser bem formado, respeitar o próximo e ter noção dos limites. Enfim, práticas de boa gente.

3 Comentários »

  1. Saudações

    Caro Helder é verdade que há uma diferença bastante grande entre o Antigo e o Novo testamentos, é verdade tambem que ninguem no seu perfeito juizo (e perdoem-me se estou a ser demasiado arrogante) acredita que Deus criou o Homem do barro e os animaizitos todos do barro, ha coisas na Biblia que se forem lidas literalmente podem e dão origem a grandes confusões. Eu não sou um Teologo, longe disso, por isso somente posso dar a minha opinao mto pessoal, eu vejo essa dicotomia entre o AT e o NT como um evoluir cognitivo, ha uma diferença de cerca de 1000 a 1500 anos (perdoe.me se errar) entre o inicio das escrituras e o inicio do Novo Testamento…em 1000 anos mta coisa muda…por exemplo Portugal com a sua historia riquissima “somente” tem 800 anos mais coisa menos coisa.
    No inicio das escrituras tudo era resolvido com guerras e violencia…depois com o Novo Testamento ha uma evoluçao (perdoem-me os Judeus) a Lei e Autoritarismo por vezes barbaro do Antigo Testamento é substituido pelo Amor incondicional que Jesus pregou…bom eu bem sei que ja depois disso existiram as Cruzadas…a Inquisiçao…a Caça às Bruxas…enfim coisas que nada dignificaram a Igreja mas a Igreja é feita de Homens e os Homens nao sao perfeitos…erram e mto, o importante é aprender com os erros…pedir.se perdao e melhorar e sinceramente gostaria de saber a sua interpretaçao da posiçao da Igreja ao longo dos tempos sobre estas coisas…porque mesmo visto de fora, e crenças de parte, parece.me que é inquestionavel que a Igreja tem vindo a redimir-se de alguns erros que foram cometidos no passado, mtos erros ainda sao cometidos…e outros estarao ainda por cometer…
    Isto leva.nos à frase que foi transcrita pelo Helder (sinto.me lisonjeado) para mim, o que é verdadeiramente importante é praticar o Bem, por educaçao isso foi.me transmitido e na Palavra de Deus vulgo Bíblia encontrei o motor para o praticar mesmo quando me sinto “agredido” nao caindo em vinganças baratas etc. Sinceramente pouco ou nada me perturba que as pessoas o façam por terem sido assim educadas por agnosticos ateus crentes assim-assim…o que importa é que o pratiquem.
    A unica coisa que afirmo é que na Igreja e na Biblia encontramos esse ensinamento e é ai que vou beber inspiraçao para praticar o Bem em toda e qualquer situaçao…com uma ressalva importante…eu sou humano como qualquer outro, logo erro…e as vezes bastante eheh.

    Um grande Abraço

    Paz e Bem!

    Comentário por Nuno Azevedo — 2 Novembro 2007 @ 2:13

  2. Nuno,

    Se do Antigo Testamento para o Novo Testamento existe um “gap” de 1500 anos que justifica a evolução do pensamento religioso expresso na Bíblia, o que poderão justificar os 2000 anos que nos separam do Novo Testamento, tendo em conta que nos últimos 500 anos a velocidade do conhecimento humano atingiu valores colossais se comparados com o ritmo a que este era adquirido entre os dois Testamentos?

    Será que 1500 anos é tempo suficiente para “saltarmos do AT para o NT mas 2000 anos não são suficientes para esquecermos o NT e partirmos para outra?

    Dizes que a Igreja se tem redimido dos erros cometidos ao longo da História… Estás mesmo convencido que o faz voluntariamente? Ou será pela pressão do ridículo, causado pelo evoluir do pensar nas sociedades seculares ocidentais?

    Comentário por Helder Sanches — 2 Novembro 2007 @ 12:48

  3. Saudações

    Pois nesse ponto onde questiona se o terá feito voluntariamente ou por necessidade, tambem tenho as minhas duvidas, sinceramente espero e de alguma forma estou convencido que será voluntariamente pelo menos na maioria…se bem que por exemplo no caso do preservativo a mudança de posiçao da Igreja para além de tardia foi notoriamene insuficiente.
    Quanto ao partirmos para outra esquecendo o NT, ai ja nao partilho da sua opiniao, no meu entender mais do que nunca o NT está actual na sua mensagem, talvez nao na forma mas no conteudo, sem duvida (no meu entender. Numa epoca em que o Amor ao proximo e talvez mais triste…o Amor (no sentido mais abrangente e universal)a nós proprios e à nossa humanidade está em descida abrupta, penso que uma leitura atenta e desprovida de preconceito do NT mostraria uma porta (entre muitas outras que acredito existirem) para uma re-humanizaçao da Humanidade.

    Grande Abraço

    Paz e Bem!

    Comentário por Nuno Azevedo — 2 Novembro 2007 @ 18:05

Alimentação RSS para comentários a este artigo. TrackBack URI

Publicar um comentário

Criado com WordPress | Theme by Roy Tanck