- que o Dalai Lama não tivesse sido recebido oficialmente pelos representantes do nosso país. A ditadores teocratas que submetem o seu povo ao capricho de monges feudais nem o asilo político deveria ser concedido;

- que Santana Lopes tivesse abandonado a entrevista na SIC Notícias. Chega de futebol a ocupar a maior parte dos serviços noticiosos deste país não deixando espaço sequer para que se fale da representação portuguesa dos Special Olympics que inicia hoje a sua participação nos jogos de Xangai;

- que aparecessem caras novas a cantarem muito bem no karaoke do Palpita-me e a elevarem ainda mais o nível já bastante alto do 2º Concurso de Karaoke que arranca já para a semana.

    Comentários

    6 Respostas a “Recentemente, gostei…”

    1. Ateu comunista em 2 Outubro, 2007 15:39

      Dalai lamacento. Me lembro q o vi na TV no vaticano se encontrando com o papa. Encontro dos teocratas. Curiosamente nos anos 50 e 60 os catolicos e budistas eram inimigos ferrenhos, em especial na Indochina. Ex: Vietnam do Sul, cujos governantes católicos perseguiam os budistas.
      Então 1 monge em Saigon se imolou como protesto.

    2. alfredo em 3 Outubro, 2007 9:37

      Eu também achei bem. Só lamento é que o papa não tenha o mesmo tratamento.
      Eu também acho que as civilizações inventaram um ser supremo quer seja Deus, Alá, Dalai Lama ou seja lá o que veneram, só para os poderem culpar dos seus próprios erros.

      Um Abraço.

    3. António em 5 Outubro, 2007 23:10

      É muito pouco relevante que o Dalai Lama não tenha sido recebido pelos nossos politocratas…Relevante é que um homem de olhar sensivel como ele ainda exista neste mundo para levantar a voz contra os colonialistas do Tibete enquanto alguns dos que levantam a voz contra ele silenciam a invasão legítima de um país outrora soberano e hoje ditatorialmente ocupado.

    4. António em 5 Outubro, 2007 23:34

      Só para rectificar: “invasão ilegítima de um país outrora soberano e hoje ditatorialmente ocupado”(e já agora,ó Helder,leia um bocadito sobre o Budismo para ficar a saber que é uma filosofia de vida ateísta e não cometer a barbaridade de chamar “teocrata” ao Dalai-Lama…)

    5. Helder Sanches em 6 Outubro, 2007 5:09

      Caro António,

      Faça-me, então, um favor: lei você também sobre o regime que estava instalado antes da invasão chinesa. Note bem, não subscrevo em absolutamente nada essa mesma invasão, apenas lamento a pouca sorte do povo tibetano que saiu uma infelicidade para cair noutra.

      Fale-me de autodeterminação se quiser e aí estaremos de acordo. O indivíduo de olhar sensível, como você diz, nunca afirmou que, quase tivesse alguma hipótese de recuperar o Tibete o transformaria numa democracia. Mas, nestas coisas, é sempre o povinho que se lixa…

    6. António em 6 Outubro, 2007 12:03

      Caro Helder…divergimos,como sabe,mas eu aprecio a sua frontalidade e nutro por si sincero respeito e admiração.Nada separa a nossa condição humana,apenas temos formas diversas de interpretar a Vida.Já li muito sobre o Tibete e o Budismo,pois é filosofia da qual me encontro ideologicamente muito próximo,ressalvada a circunstância de eu ser teísta e os budistas não.
      Raras demonstrações de proselitismo encontra nos monges budistas e muito menos as execráveis cruzadas cristãs,que o Helder certamente verbera e eu também.
      Você está,a meu ver,completamente enganado em relação à figura de Dalai Lama.Não há nenhum laivo de teocracia ou de autoritarismo ditatorial na sua figura.
      Um Homem que apregoa a Bondade Humana como critério determinante da sua actuação tem mesmo que ser alguém com dimensão ética elevada e,para tratantes,já bastam aqueles colonialistas modernos que reunem pessoas nos campos de futebol,lhes metem uma bala na cabeça e ainda fazem a família pagar o preço da bala assassina…

    Deixe uma resposta