Carmona RodriguesNão se demitiu! Acabou de poupar aos portugueses uns milhões de euros em propaganda e umas semanas de poluição e ruído nos media. Pela minha parte, fiquei satisfeito.

O Marques Mendes que se cuide. Esqueceu-se do significado de independente e, mais uma vez, saiu-lhe o tiro pela culatra.

Comentários

2 Respostas a “A Poupança”

  1. António em 5 Maio, 2007 17:14

    Depois de uns dias sem vir ver o teu blog e depois de me actualizar reparei que este era o único artigo que não tinha comentários. Com um interesse assim tão grande em factos que têm a ver com a gestão de uma cidade, que é a minha, demonstrado pelos teus leitores, sou levado a pensar que um ateu, quando é ateu, é ateu em religião e em politica. (Ateu politico?)
    Pelo meu lado acho que a decisão de não se demitir foi boa. Pelo menos mostra-se coerente com os seus actos.

  2. Helder Sanches em 5 Maio, 2007 17:44

    Olá António,

    Bom regresso à blogosfera ateia. Embora entenda a tua opinião, tenho que te relembrar que já há algum tempo que faço deste espaço um blog temático, onde poucas são as incursões noutros assuntos. Naturalmente, isso faz com que a maioria dos visitantes e comentadores sejam “especializados” no tema do blog, podendo não se interessar por outras matérias com o mesmo afinco.
    Por outro lado, tens ideia de quantos dos visitantes e comentadores deste blog são de Lisboa? Eu não! Mas, suspeito que são mais os brasileiros, por exemplo, que os lisboetas.
    Mas eu agradeço teres comentado. Eu não só acho que ele fez muito bem como me começa a parecer que nas próximas eleições (intercalares ou não) a CML passará a estar nas mãos de um independente.

Deixe uma resposta