A Falta de Chá

Independentemente do resultado do referendo do próximo dia 11, este já serviu para algo muito importante: a constatação de que o respeito pelos outros é apenas um fenómeno teórico.

Já aqui disse anteriormente o que penso sobre tolerância de ideias e pessoas. Nesta matéria, como tem ficado demonstrado ao longo da campanha, considero-me muito moderado. São por demais evidentes os casos em que se vai muito mais longe do que não tolerar as ideias opostas; avança-se para a ofensa pessoal, questiona-se a legitimidade da opção contrária, ignora-se o direito ao livre pensamento, enfim, recorre-se à vulgaridade. E isto de ambos os lados!

E já lá vão 30 e tal anos de democracia…


 
 
 

2 Respostas a “A Falta de Chá”

  1. lino
    7 Fevereiro, 2007 às 09:24

    Tem toda a razão, Helder. As partes comportam-se como claques de futebol, onde sobressaem os instintos mais primários.

  2. João
    8 Fevereiro, 2007 às 09:47

    E se tiver a ideia que estão a formular mal a questão… que estão a tentar fazer omeletes sem partir ovos? Como é que me devo sentir… Revoltado?

    Sem investimento não há equilíbrio.

    Invistam na educação moral e sexual.
    Por alguma razão ~40% dos abortos constatam-se idades entre 15 e 24 anos. Em ~65% dos casos NÃO foi usado método contraceptivo eficaz e em ~46% nenhum método contraceptivo.

    Se não querem ter filhos usem contraceptivos apropriados quando tiverem relações. (Esta mensagem é destinada principalmente a jovens com idade entre 15 e 24 anos).

    Outra coisa cá para mim os homens são tão ou mais culpados do que as mulheres. Isso veio a baila por acaso? Alguém ponderou penalizar o pai biológico (quando aplicável) em vez de a mãe?

Deixar uma resposta