Pronto! Ufa… Já Passou…

Familia & Amigos, Pessoais | 2 Janeiro, 2007

Mais um Natal e mais um ano. Esta época é sempre muito angustiante para um pai. Especialmente, um pai ateu! Há sempre aquele complexo de fazer conviver as nossas crianças com algo de sobrenatural como o Pai Natal. Alguém que, numa noite apenas, consegue dar a volta ao mundo e deixar prendinhas a todos os meninos. É obra!

Mas, verdade se diga, eu não sou daqueles ateus que, pelo facto de ser ateu, renego às influências culturais da religião dominante da sociedade onde nasci e cresci.

Verdade seja dita, no dia em que a minha filha mais nova me disser que já não acredita no Pai Natal tentarei usar esse exemplo para demonstrar a importância de pensarmos pela nossa própria cabeça e nem sempre acreditarmos naquilo que os outros nos fazem parecer tão óbvio.

Isto, claro, sem prejuízo dessas capacidades tão humanas de imaginar, sonhar e idealizar… Sem elas, não haveriam bons poetas.

5 Comentários »

  1. Oi Helder,

    Peço desculpa de meter o bedelho, mas os meus sempre conheceram a história do Pai Natal e nunca acreditaram. Penso que para conhecer a história não precisamos de os convencer que é verdade.

    Pela experiência que tenho (gémeos, rapazes, de cinco anos) eles curtem tanto as histórias que não perdem nada por ser fantasia. Uma brincadeira habitual era irmos os três para o sofá, eles escolhiam os temas, e eu inventava a história. Quendo era a fada boa transformar a fada má em torradeira era simples. Às vezs lá vinha uma como o homem que foi mordido por uma àrvore e via-me um bocado mais aflito.

    O Pai Natal, os deuses gregos, o menino Jesus, os monstros e assim sempre foram histórias para eles. Penso que não perderam nada de cultura nem de divertimento, e nunca tive que fazer essa coisa de enganar as crianças, que me parece um mau exemplo (mesmo que alegadamente por uma boa causa).

    Até porque as prendas vão todas na mala do carro para casa dos meus pais quando vamos lá passar a noite de Natal. Só se os convencesse que o Pai Natal estava numa de outsourcing :)

    Comentário por Ludwig Krippahl — 3 Janeiro 2007 @ 18:29

  2. Mete o bedelho sempre que quiseres, Ludwig. ;-)

    Não tenho dúvida que a tua atitude é mais coerente que a minha mas, tenho que admitir, dá-me um gozo do caraças comprar as prendas e levá-las para casa às escondidas, colocá-las junto da árvore e esperar por aquela expressão incomparável na manhã seguinte! Até parece Natal para mim também.

    Comentário por Helder Sanches — 5 Janeiro 2007 @ 10:18

  3. Olá Helder,

    Só para te desejar um excelente ano de 2007.
    Em relação ao Pai Natal estou zangado com ele porque pedi uma certa menina no meu sapatinho e afinal tinha as mesmas prendas de sempre. (Como estás a ver ainda acredito no Pai Natal com esta idade….)
    Mas como a esperança nunca morre acabei por fazer da minha esperada prenda cada um dos desejos de inicio de 2007. Talvez assim….
    Um grande abraço
    LA

    Comentário por Luis Amaro — 5 Janeiro 2007 @ 13:01

  4. Caro Luís,

    Espero que a menina em causa não seja a Virgem Maria. É que ao fim de mais de 2k anos ainda virgem deve ser um vulcão a cuja erupção nenhuma homem se aguentará!

    Enfim, um bom ano para ti também.

    Comentário por Helder Sanches — 5 Janeiro 2007 @ 21:22

  5. Helder…

    Não me vais dizer k não existe o Pai Natal!!!!Bolas eu acredito no velhote k come as renas….ou então não….k dá brinkedos aos meninos…se bem k ando desconfiada pelo facto de ele kerer sempre dar colinho aos meninos…LOLOLO
    Jinhos e mto bom ano para ti e para os teus!!!

    Comentário por Guida — 7 Janeiro 2007 @ 15:56

Alimentação RSS para comentários a este artigo. TrackBack URI

Publicar um comentário

Criado com WordPress | Theme by Roy Tanck