Os não-praticantes, desporto e homossexuais

Diz-se que a população portuguesa é maioritariamente católica. No entanto, a maioria dentro da maioria é não-praticante!

Utilizando o mesmo raciocínio, não se poderá dizer que a maioria da população portuguesa é maioritariamente desportista não-praticante? Ou homossexual não-praticante?

Será a conveniência de julgar e catalogar as pessoas por aquilo que dizem e não por aquilo que fazem que leva a este fenómeno? Ou será que a maioria dos crentes não-praticantes considera que, pelo sim, pelo não, “deixa-me lá dizer que acredito nesse tal Deus omnipotente, não vá ele existir mesmo e, assim, talvez me safe”?

Eu, se não tiver bom carácter, não é o facto de dizer que o tenho que me transforma em boa gente! Da mesma forma, quem quiser ser católico, para contar estatisticamente, não lhe deveria bastar dizer que o é.

Se a interpretação das sondagens fosse igual para a religião como é para outras matéria, muito provavelmente, concluir-se-ia que a maioria da população portuguesa é, efectivamente, ateia. Só que ainda não deu por isso!

This entry was posted on Quinta-feira, Novembro 9th, 2006 at 20:31 and is filed under Portugal, Religião, Sociedade . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

5 Responses to “ Os não-praticantes, desporto e homossexuais ”

  1. Eva diz:

    Sim por aquí (Galiza)acontece o mesmo,mais o mesminho é dizer,”som católica mais nom som praticante” que dizer “sou ateia mais nom sou praticante” …achas?

    Entom o erro debe estar em ser e nom praticar…….vai ser que sou uma filósofa excepcional…..mais…..nom sou praticante…..mágoa….rsrsrs

  2. Jam diz:

    Eu cá costumo dizer que a população portuguesa é de formação católica e não propriamente e na verdadeira acepção da palavra – católica.

    Se me perguntasse a mim, diria que sou agnóstico, mas diria também que tenho formação católica e creio que quer se seja ateu ou agnóstico em Portugal é um pouco difícil fugir a essa mesma formação. Mesmo não se sendo crente existem moralidades, éticas e comportamentos que são inevitavelmente influenciadas pela formação.

  3. steve diz:

    segundo a logica helderiana. Um portuga que acredita em .deus em jesus cristo como filho de deus etc..devia ser considerado ateu porque nao lhe aptece levantar a peidola da cama ao domingo. Para alem que esses n praticantes podem rezar em casa.pelo que tao a praticar a religiao.

  4. Nuno Azevedo diz:

    Saudações

    Carissimos, como disse num comentario anterior, eu nao concebo um catolico não praticante, porque e como foi dito no meu entender mto bem, eu posso ser educado a ser trabalhador, mas se nao me mexer essa educaçao nao se concretiza.
    Nos portugueses somos (por norma) catolicos de formaçao mas poucos (em comparaçao, felizmente nao sao tao poucos quanto isso) o sao por convicçao.
    Ser Catolico não é somente rezar, para isso e como disse o Steve eu podia ficar em casa a “praticar” isso nao é ser Catolico, os Catolicos prtaticam a sua religiao todos os dias com todas as pessoas em todas as circunstancias, rezam como é obvio, mas principalmente Amam os outros. Isso sim é ser Catolico. Correndo o risco de ser corrido à paulada convidava todos os Ateus Agnosticos e Crentes a tentar pelo menos conhecer e compreender a Ordem dos frades menores Capuchinhos (Ordem essa a quem eu mto devo e a quem humildemente tento ajudar com as minhas parcas e insignificantes acçoes).

    Paz e Bem

    Abraço

  5. Jorge Serranho diz:

    Amigo Nuno,não perca tempo com esta gentalha.Eles passam os dias a blasfemar contra Deus e contra os cristãos.Eles,nem vendo Cristo há sua frente acreditavam.Precisariam nascer de novo…O que podemos fazer é rezar por eles.



Be the first to comment! Leave a Reply.

-->