Nice To Blog You

Nos últi­mos dias tenho andado ata­re­fa­dís­simo a colo­car no ar mais um blog. Diga­mos que este blog irá ser assim uma espé­cie de diá­rio dos méto­dos e téc­ni­cas que vou des­co­brindo diá­ri­a­mente sobre a arte de bem bloggar.

Nice To Blog You é o seu nome. Pas­sem por lá.

Thomas L. Friedman de novo

As colu­nas de Tho­mas L. Fri­ed­man no New York Times todas as quar­tas e sex­tas come­çam a cha­mar a aten­ção de mui­tos. Já há uns dias referi outra das suas colu­nas, “On the Eve of Madness”.

Desta vez, Fri­ed­man aborda o tema da manu­ten­ção das for­ças ame­ri­ca­nas no Ira­que e de como essa manu­ten­ção estará a enfra­que­cer a posi­ção dos Esta­dos Uni­dos em rela­ção ao Irão e à Síria em par­ti­cu­lar e ao Médio Ori­ente em geral.

Time for Plan B” é o nome deste novo edi­to­rial. Só para abrir o ape­tite, fica aqui o pri­meiro parágrafo:

It is now obvi­ous that we are not midwi­fing demo­cracy in Iraq. We are baby-sitting a civil war.

O resto podem ler aqui.

Ponto de Cruz Abençoado

Via Aspi­rina B

Do último número da revista “Linhas & Pon­tos” faz parte um esquema para criar uma tape­ça­ria em ponto de cruz com o retrato irmã Lúcia!!!

Luís, da Aspi­rina B, reflecte sobre o por­me­nor do método suge­rido para obter tama­nha obra não ter sido dei­xado ao acaso: ponto de cruz, ora bem! Já não con­cordo com a sua espe­cu­la­ção sobre as pos­si­bi­li­da­des que se abri­riam se fosse Maomé; afi­nal, não se pode retra­tar o pro­feta e a “Linhas & Pon­tos” arriscava-se a ser banida das ban­cas por esse mundo muçul­mano fora.

Já tratando-se da irmã Lúcia as van­ta­gens são deve­ras evi­den­tes. Pena que não seja adi­ci­o­nada uma tec­no­lo­gia digi­tal que per­mi­tisse à irmã mudar de expres­são con­so­ante aquilo que visse. Senão,imaginem um tapete de casa-de-banho; ao ser pisado por uma jovem sol­teira de mini-saia, a irmã pode­ria fazer de ime­di­ato uma aná­lise gine­co­lo­gica à mesma. Se fosse vir­gem, a irmã sor­ria. Se não fosse, a ima­gem pas­sa­ria para um sem­blante de dor e com­pai­xão e seria envi­ado um mp3 para o iPod da jovem com o “Pai Nosso”! Isso é que era…

A Energia de Fidel Castro

A pro­pó­sito do recente “aci­dente de saú­de” de Fidel Cas­tro, vi recen­te­mente num noti­ciá­rio tele­vi­sivo o ainda pre­si­dente cubano a afir­mar que, no futuro, os cuba­nos pode­rão des­truir a revo­lu­ção, os outros (ame­ri­ca­nos) é que não!

Pergunto-me onde irá o homem encon­trar mais ener­gia: à con­vic­ção ou à teimosia?

A Ineficácia Muçulmana

Curi­oso artigo no Máquina Zero. Segundo este, a taxa de anal­fa­be­tismo nos paí­ses muçul­ma­nos deve-se a isso mesmo, ao facto de serem muçul­ma­nos! O artigo trans­creve mesmo um texto do site Studying Islam onde são ana­li­sa­das algu­mas esta­tís­ti­cas base­a­das em estu­dos inter­na­ci­o­nais.

Sem que­rer con­tes­tar o facto, que, aliás, é bem evi­dente nas esta­tís­ti­cas apre­sen­ta­das, penso que as razões não terão a ver direc­ta­mente com a reli­gião pra­ti­cada mai­o­ri­ta­ri­a­mente nes­ses paí­ses mas sim no facto de que, regra geral, a sepa­ra­ção entre os Estado e a reli­gião é pra­ti­ca­mente nula na mai­o­ria dos paí­ses muçul­ma­nos, assim como o facto de esses mesmo paí­ses, tam­bém na sua grande mai­o­ria, não serem demo­cra­cias exem­pla­res. Basta recor­dar outros casos em que a pro­xi­mi­dade entre o Estado e a Igreja domi­nante, que não a muçul­mana, pro­du­zi­ram os mes­mos resul­ta­dos. O nosso pró­prio exem­plo é prova disso mesmo. Durante os anos de dita­dura em Por­tu­gal, em que a ICAR dis­pu­nha de uma influên­cia forte junto do Estado, os nos­sos níveis de anal­fa­be­tismo eram dras­ti­ca­mente ele­va­dos. Este é um artigo inte­res­sante sobre esta matéria.

Parece-me, pois, mini­ma­lista a aná­lise feita pelo Máquina Zero. Não deixa, no entanto, de ser inte­res­sante ana­li­sar as esta­tís­ti­cas apresentadas.

Apro­veito esta opor­tu­ni­dade para me con­gra­tu­lar com o facto de des­co­brir mais um blog por­tu­guês a uti­li­zar o Word­Press. Word­Press rules…